RELACIONAMENTO COM CLIENTE: POR QUE AINDA É TÃO COMPLICADO?

Mesmo com toda tecnologia existente hoje para medir e detalhar os dados dos clientes, o relacionamento ainda não é algo tão simples de ser compreendido e posto em prática por parte das empresas.

O auxílio dos sistemas de CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente) traz inúmeros benefícios uma vez que apresentam gráficos e estatísticas que contribuem para o melhor relacionamento empresa/ cliente. Mas isso não é o bastante.

O cliente de hoje é muito mais exigente e não só espera como também cobra das marcas atitudes, e isso está presente tanto no relacionamento B2C como também no B2B.

Clientes buscam confiança e marcas buscam fidelização.

Mas ainda falta muito “trato” na hora de se relacionar com pessoas e para que esse relacionamento seja efetivo e assertivo, algumas considerações devem ser levadas em conta na hora de cruzar dados e coloca-los em prática.

Diferentes formas de se relacionar

Pessoas são diferentes, logo, a maneira que elas se relacionam varia, principalmente com relação a marcas.

Em uma pesquisa realizada pela Harvard Business Review Brasil, uma das principais revistas de negócios do mundo, constatou-se que existem mais de 29 tipos de relações cliente/empresa, através de resultados obtidos de 2.000 marcas de países como Estados Unidos, China, Espanha e Alemanha foi apontado que a maioria delas é defasada quando o assunto é relacionamento com o cliente.

Esses muitos tipos de relações dizem respeito a vários perfis de pessoas, que optam por bom atendimento ou esperam um forte engajamento da empresa e outros tantos que incluíram relacionamentos de laços mais fortes ou mais fracos, positivos (amigos), negativos (inimigos), distantes e íntimos e mistos.

Mas, para que uma empresa saiba fazer essa diferenciação e encontre o perfil do seu cliente, ela precisa desenvolver métodos de captação de sentimentos e expectativas dos clientes.

Saber utilizar os dados obtido através dos softwares e mesclar com investimento e capacitação de pessoal é um dos componentes necessários para começar a mudar a realidade do relacionamento com o cliente nas empresas.